07 abril 2011

Panem Nostrum Quotidianum




O pão nosso de cada dia. Esse é o pão.
O pão já tomou todas as formas que se pode imaginar. A “foccaccia” que aparece em algumas representações da Santa Ceia é feita, até hoje, tanto pelos camponeses da Lombardia, na Itália, como em qualquer outro país da Europa. Na Santa Ceia o pão foi distribuído  aos apóstolos e passou a representar o corpo de Cristo, que é transmitido aos fieis, pela comunhão, durante o santo sacrifício da missa. Hoje, na comunhão, come-se diretamente um pedaço de pão mas houve um tempo em que ele era representado por uma hóstia finíssima de trigo, geralmente preparadas pelas freiras dos conventos. As palavras do sacerdote a acompanhavam:

“Corpus Domine nostrum  Jesu Christi ...”

Sei que não deveria brincar com este assunto mas o próprio amadurecimento da Igreja me autoriza a fazê-lo. Porque me lembro como sofri em criança, ao comungar, quando a hóstia depositada sobre a língua me escapava e batia nos dentes. As advertências, nas aulas de catecismo eram severas: não se pode mastigar a hóstia, nem tocá-la com os dentes, porque ela representa o corpo de Deus. Eu ficava aterrorizado e me sentia, aos olhos de hoje, um verdadeiro canibal.
Atualmente, em muitas Igrejas, a comunhão é feita com pão de verdade, mastigável, mas ninguém me devolveu a alegria de compartilhar do corpo Cristo sem remorsos e culpas. E, certamente, meu sofrimento na infância não enalteceu o Senhor nem me tornou mais digno perante a sociedade dos homens.

... “custodiat animan tuam” ...

Quando meus filhos tinham 6 e 7 anos eu viajava muito e ficava longos períodos fora de casa. Numa dessa viagens, voltando da Itália, eu trazia um torrone de Cremona, considerado o melhor do pais. No primeiro jantar com a família abri o torrone para a sobremesa. Flamínio, o maior, levanta um fragmento da fina película de trigo que reveste  todos os torrones  e diz para a irmã:
- Olha, Flavia, igual àquele que a gente comeu na Igreja!
 Espantado, sem ligar coisa com coisa, eu perguntei:
- O que é que vocês andaram fazendo na Igreja?
- A gente estava na missa e viu que todo mundo formou uma fila e aí a gente também entrou e o padre deu um biscoitinho parecido com este.
Olhei para a minha mulher:
-Você permitiu que eles fizessem a Primeira Comunhão sem nenhum preparo? E ela, ainda mais espantada do que eu:
- Eu não estava nessa missa. E estou ouvindo essa historia pela primeira vez. Como você.

... “in vitam aeterna, Amen”.

Esse é o pão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário